GNR deteta pesca ilegal de meixão entre Benavente e Salvaterra de Magos

pesca ilegal de meixão

A enguia europeia é conhecida como meixão ou enguia juvenil na fase larvar e atualmente é uma espécie criticamente em perigo e que tem sofrido grande redução devido à pesca ilegal.

O Comando Territorial de Santarém, através do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Coruche, detetou, esta segunda-feira, dia 14 de fevereiro, uma arte de pesca destinada à captura ilegal da espécie “Anguilla anguilla”, mais conhecida como meixão, entre os concelhos de Benavente e Salvaterra de Magos.

Esta captura deu-se no âmbito da operação Lake 2021/22. Os militares encontraram, no Rio Tejo, uma rede de grandes dimensões, que foi retirada da água e apreendida. Estas redes são frequentemente utilizadas para a captura ilegal de meixão. Contudo, são ainda extremamente lesivas para a fauna existente, devido às suas características.

A enguia europeia é conhecida como meixão ou enguia juvenil na fase larvar. Atualmente é uma espécie criticamente em perigo e que tem sofrido grande redução devido à pesca ilegal, impedindo o normal ciclo de reprodução, colocando em causa a sustentabilidade da espécie.

A ação, explica a GNR em comunicado, contou com o reforço do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) de Santarém.

GNR detetou atividades de pesca ilegal de meixão em Valada no passado mês de janeiro

No dia 18 de janeiro, a GNR detetou, na freguesia de Valada, no concelho do Cartaxo, uma rede de pesca, com cerca de 30 metros, com o objetivo de pescar meixão ilegalmente. A rede foi retirada da água, e foi verificado que no seu interior, se encontravam exemplares desta espécie, que foram de imediato devolvidos ao rio.

A pesca do meixão só é permitida no Rio Minho, junto à fronteira entre Portugal e Espanha. A sua pesca é feita entre os meses de novembro e fevereiro. O meixão tem cerca de oito centímetros e cada quilo pode valer centenas de euros.

HTML Snippets Powered By : XYZScripts.com